Proposta aprovada proíbe novas usinas hidrelétricas no rio Paranapanema

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável aprovou proposta que proíbe a construção de novas usinas hidrelétricas ou de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) no rio Paranapanema. As usinas existentes até a entrada em vigor da proibição poderão manter o funcionamento.

Trata-se do Projeto de Lei 1486/19, do deputado Nilto Tatto (PT-SP), que recebeu parecer favorável do relator, deputado Frei Anastacio Ribeiro (PT-PB).

Ribeiro reconheceu que o rio Paranapanema já se encontra no limite de sua capacidade de exploração econômica, como alegou Tatto, devendo ser dada prioridade agora para a preservação ambiental.

“Apenas um pequeno trecho do rio, de 7 km, em Piraju [SP], se encontra livre de represas, com suas corredeiras naturais. Esse trecho, no entanto, se não for rigorosamente protegido, será também explorado, com riscos de levar o rio ao esgotamento”, disse Ribeiro.

O rio Paranapanema já abriga 11 centrais hidrelétricas. O autor do projeto afirma que as usinas transformaram o curso original do rio em “uma sucessão de reservatórios justapostos”. Em média, há uma central instalada a cada 84 km.

O Paranapanema nasce na Serra de Agudos Grandes, no município de Capão Bonito (SP), e seu curso se desenvolve ao longo de 930 km até desaguar no rio Paraná. A bacia hidrográfica abrange uma área de 106,5 mil km², segundo a Agência Nacional de Águas (ANA).

Tramitação
O projeto será analisado agora, em caráter conclusivo, pelas comissões de Minas e Energia; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Leia a matéria completa no site: https://www.camara.leg.br/noticias/590206-PROPOSTA-APROVADA-PROIBE-NOVAS-USINAS-HIDRELETRICAS-NO-RIO-PARANAPANEMA

A aventura agrária de FHC e Jovelino

Sobre o grande reservatório de água no rio Pardo , em Botucatu , onde políticos tentam construir a todo custo responsabilizando a crise hídrica pela falta de água, uma obra faraônica, desnecessária e danosa ambientalmente para toda a bacia hidrográfica . O livro do escritor Alceu Castilho lançado recentemente sob o tema “O PROTEGIDO”.

Por que o Brasil ignora as terras de FHC? Em sua entrevista mostra as falcatruas políticas e sobretudo os bastidores de nossa região na construção do reservatório em Botucatu, onde a última coisa é produzir água e sim um grande empreendimento regional milionário. Obra esta contestada por varias entidades ambientais, principalmente a Rio Pardo Vivo, sob danos ambientais irreversíveis.

Projeto Santa Cruz + Verde recebe certificação de boas práticas

Projeto de Arborização Urbana de Santa Cruz do Rio Pardo da ONG Rio Pardo Vivo, Secretaria de Meio Ambiente e empresas locais recebem certificado de boas práticas ambientais no município.
 
O projeto desde sua criação plantou 4.101 árvores nas calçadas da cidade entre 2014 até 2018. A certificação ocorreu na cidade de Assis através do CIVAP consórcios municipais.

Semana do Meio Ambiente 2019

A ONG Rio Pardo Vivo irá comemorar o dia Mundial do Meio Ambiente com diversas ações em Santa Cruz do Rio Pardo, com a participação dos alunos da rede pública e tendo como apoio a Secretaria de Meio Ambiente e empresas de Santa Cruz.

PROGRAMAÇÃO

Dia 06 de junho
Horário: às 9h e às 14h
Local: nascente modelo do Jardim Santana, com palestra de preservação ambiental, com a presença de alunos da rede pública.

Dias 07 e 08 de junho
Horário: 9 h
Local: Pantanal Vila Saul, recuperação de área degradada com plantio de 1.600 mudas de árvores nativas às margens do ribeirão São Domingos.

Dias: 03 a 09 de junho
Horário: das 9h às 17h
Local: Associação Sabesp, rua Pedro Manoel de Andrade, 229
Gincana com troca de óleo de cozinha usado, onde troca-se 04 litros de óleo usados por 900 ml de óleo novo.

Compartilhe com os amigos e venha participar conosco a preservação do Meio Ambiente!

Pesquisador da Unesp de Ourinhos retrata em vídeo uma grande erosão na bacia do Rio Pardo

Soltura de peixes no Rio Turvo

O Rio São João em São Pedro do Turvo recebeu 23.000 novos peixes juvenis da espécie Curimbatás, esta é uma ação ambiental da Rio Pardo Vivo de recuperação da fauna aquática da Bacia do Rio Pardo e seus afluentes.

Projeto criado em 2010 já rendeu 2.000.000 de novos peixes na região . Obrigado a todos os voluntários ambiental focado neste projeto!

Campanha de preservação de nascentes

Soltura de peixes e plantio de mudas em Águas de Santa Bárbara

Soltura de 30.000 peixes,milhares de sementes e plantio de muitas mudas, esta foi a comemoração pelo dia do Rio Pardo e Dia Mundial da Água na cidade de Águas de Santa Bárbara, alunos e autoridades participaram do evento. Obrigado a todos os envolvidos!

Comemoração do Dia Mundial da Água e Dia do Rio Pardo

Centenas de crianças de diversas escolas de Santa e Cruz e região e autoridades locais participariam do evento em comemoração pelo Dia Mundial da Água e Dia do Rio Pardo, no evento os alunos puderam participar do teatro , “uma viagem Sobre as águas “em alusão ao uso racional da água e a preservação de nossos rios. Ao final todos participaram da soltura de 130.000 peixes juvenis da espécie Curimbatás. O evento realizado na Associação Sabesp teve como parceiros: Sabesp, SpecialDog, Rotary, Secretaria de Meio Ambiente e Educação.

Dia Mundial da Água e Dia do Rio Pardo

Rio Pardo Vivo representa a região no Comitê de Bacias Hidrográficas

A Associação Rio Pardo Vivo é integrante do comitê de Bacias Hidrográficas do Médio Paranapanema representando a Sociedade Civil no biênio de 2019/2020

Os Comitês de Bacia Hidrográfica são organismos colegiados, integrantes do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, compostos por representantes do setor público, da sociedade civil e dos usuários de água, cujo objetivo é garantir a gestão participativa, integrada e descentralizada da água.

25.000 peixes Curimbatás foram soltos no Rio Pardo

25.000 peixes Curimbatás foram soltos no Rio Pardo, um esforço de entidades e empresas em restaurar a fauna aquática do Rio Pardo. A meta para 2019 é soltar 300.000 peixe!

Barragem em Botucatu pode agravar problema de água em Ourinhos

Uma grande barragem será construída no rio Pardo, no município de Botucatu. A realização da obra promete resolver o problema de abastecimento de água na cidade pelas próximas décadas, mas deverá causar rebaixamento do leito do rio e dificultar a captação de água nas cidades próximas, principalmente Avaré e Pardinho. Santa Cruz do Rio Pardo e Ourinhos também poderão ser prejudicadas.

Leia mais no site: http://jornalbiz.com/barragem-em-botucatu-pode-agravar-problema-de-agua-em-ourinhos/

Repovoamento de peixes no Rio Pardo

Nesta semana três mil peixes adultos da espécie Pacu-Guaçu foram soltos no Rio Pardo , em Santa Cruz do Rio Pardo, a ação ambiental é um esforço da Ong Rio Pardo Vivo visando a melhora ambiental da fauna aquática do Pardo em toda sua extensão . O evento realizado no clube náutico e teve a participação dos alunos do colégio Camões, Etec, núcleo Wilson Gonçalves, que na ocasião ouviram do membro da Ong a importância do Rio Pardo em nossas vidas!

Alunos da UNESP realizam Trabalho de Campo da disciplina Hidrogeografia

No dia 6/11/2018 ocorreu o trabalho de campo da disciplina de Hidrogeografia com os alunos do curso de Geografia da UNESP de Ourinhos. Os alunos, a professora Edinéia Aparecida dos Santos Galvanin e o membro fundador da ONG “Rio Pardo Vivo” Luiz Carlos Cavalchuki, visitaram os arredores da Pequena Central Hidroelétrica (PCH) Ponte Branca, localizada nos municípios de Iaras e Águas de Santa Bárbara e a Cachoeira Cascata Capão Rico Localizada no município de Águas de Santa Bárbara, estado de São Paulo.

Leia a matéria completa no site: http://www.ourinhos.unesp.br/#!/noticia/388/alunos-realizam-trabalho-de-campo-da-disciplina-hidrogeografia/