Soltura de peixes no Rio Turvo

Soltura de peixes no Rio Turvo no dia 27 de novembro de 2019

Repovoamento no Rio Turvo

No dia 21 de novembro de 2019 aconteceu o repovoamento no Rio Turvo, no Distrito de Caporanga em Santa Cruz do Rio Pardo, onde foram soltos 5.000 Curimbatás juvenis, com a presença de alunos da escola Biécio de Britto.

Repovoamento na bacia do Rio Pardo

Mais 10.000 juvenis de Curimbatás foram introduzido no rio São João, na cidade de Ubirajara, afluente do Turvo este do Rio Pardo. Este programa tem como objetivo a recuperação da fauna aquática em toda extensão da Bacia do Rio Pardo.

O programa de repovoamento iniciou-se em 2010 e com a marca de 2000.000 de peixes introduzido graças ao apoio de empresas de Santa Cruz do Rio Pardo.

Participaram do evento alunos das escolas de Ubirajara.

Proposta aprovada proíbe novas usinas hidrelétricas no rio Paranapanema

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável aprovou proposta que proíbe a construção de novas usinas hidrelétricas ou de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) no rio Paranapanema. As usinas existentes até a entrada em vigor da proibição poderão manter o funcionamento.

Trata-se do Projeto de Lei 1486/19, do deputado Nilto Tatto (PT-SP), que recebeu parecer favorável do relator, deputado Frei Anastacio Ribeiro (PT-PB).

Ribeiro reconheceu que o rio Paranapanema já se encontra no limite de sua capacidade de exploração econômica, como alegou Tatto, devendo ser dada prioridade agora para a preservação ambiental.

“Apenas um pequeno trecho do rio, de 7 km, em Piraju [SP], se encontra livre de represas, com suas corredeiras naturais. Esse trecho, no entanto, se não for rigorosamente protegido, será também explorado, com riscos de levar o rio ao esgotamento”, disse Ribeiro.

O rio Paranapanema já abriga 11 centrais hidrelétricas. O autor do projeto afirma que as usinas transformaram o curso original do rio em “uma sucessão de reservatórios justapostos”. Em média, há uma central instalada a cada 84 km.

O Paranapanema nasce na Serra de Agudos Grandes, no município de Capão Bonito (SP), e seu curso se desenvolve ao longo de 930 km até desaguar no rio Paraná. A bacia hidrográfica abrange uma área de 106,5 mil km², segundo a Agência Nacional de Águas (ANA).

Tramitação
O projeto será analisado agora, em caráter conclusivo, pelas comissões de Minas e Energia; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Leia a matéria completa no site: https://www.camara.leg.br/noticias/590206-PROPOSTA-APROVADA-PROIBE-NOVAS-USINAS-HIDRELETRICAS-NO-RIO-PARANAPANEMA

A aventura agrária de FHC e Jovelino

Sobre o grande reservatório de água no rio Pardo , em Botucatu , onde políticos tentam construir a todo custo responsabilizando a crise hídrica pela falta de água, uma obra faraônica, desnecessária e danosa ambientalmente para toda a bacia hidrográfica . O livro do escritor Alceu Castilho lançado recentemente sob o tema “O PROTEGIDO”.

Por que o Brasil ignora as terras de FHC? Em sua entrevista mostra as falcatruas políticas e sobretudo os bastidores de nossa região na construção do reservatório em Botucatu, onde a última coisa é produzir água e sim um grande empreendimento regional milionário. Obra esta contestada por varias entidades ambientais, principalmente a Rio Pardo Vivo, sob danos ambientais irreversíveis.

Projeto Santa Cruz + Verde recebe certificação de boas práticas

Projeto de Arborização Urbana de Santa Cruz do Rio Pardo da ONG Rio Pardo Vivo, Secretaria de Meio Ambiente e empresas locais recebem certificado de boas práticas ambientais no município.
 
O projeto desde sua criação plantou 4.101 árvores nas calçadas da cidade entre 2014 até 2018. A certificação ocorreu na cidade de Assis através do CIVAP consórcios municipais.

Semana do Meio Ambiente 2019

A ONG Rio Pardo Vivo irá comemorar o dia Mundial do Meio Ambiente com diversas ações em Santa Cruz do Rio Pardo, com a participação dos alunos da rede pública e tendo como apoio a Secretaria de Meio Ambiente e empresas de Santa Cruz.

PROGRAMAÇÃO

Dia 06 de junho
Horário: às 9h e às 14h
Local: nascente modelo do Jardim Santana, com palestra de preservação ambiental, com a presença de alunos da rede pública.

Dias 07 e 08 de junho
Horário: 9 h
Local: Pantanal Vila Saul, recuperação de área degradada com plantio de 1.600 mudas de árvores nativas às margens do ribeirão São Domingos.

Dias: 03 a 09 de junho
Horário: das 9h às 17h
Local: Associação Sabesp, rua Pedro Manoel de Andrade, 229
Gincana com troca de óleo de cozinha usado, onde troca-se 04 litros de óleo usados por 900 ml de óleo novo.

Compartilhe com os amigos e venha participar conosco a preservação do Meio Ambiente!

Pesquisador da Unesp de Ourinhos retrata em vídeo uma grande erosão na bacia do Rio Pardo

Soltura de peixes no Rio Turvo

O Rio São João em São Pedro do Turvo recebeu 23.000 novos peixes juvenis da espécie Curimbatás, esta é uma ação ambiental da Rio Pardo Vivo de recuperação da fauna aquática da Bacia do Rio Pardo e seus afluentes.

Projeto criado em 2010 já rendeu 2.000.000 de novos peixes na região . Obrigado a todos os voluntários ambiental focado neste projeto!

Campanha de preservação de nascentes

Soltura de peixes e plantio de mudas em Águas de Santa Bárbara

Soltura de 30.000 peixes,milhares de sementes e plantio de muitas mudas, esta foi a comemoração pelo dia do Rio Pardo e Dia Mundial da Água na cidade de Águas de Santa Bárbara, alunos e autoridades participaram do evento. Obrigado a todos os envolvidos!

Comemoração do Dia Mundial da Água e Dia do Rio Pardo

Centenas de crianças de diversas escolas de Santa e Cruz e região e autoridades locais participariam do evento em comemoração pelo Dia Mundial da Água e Dia do Rio Pardo, no evento os alunos puderam participar do teatro , “uma viagem Sobre as águas “em alusão ao uso racional da água e a preservação de nossos rios. Ao final todos participaram da soltura de 130.000 peixes juvenis da espécie Curimbatás. O evento realizado na Associação Sabesp teve como parceiros: Sabesp, SpecialDog, Rotary, Secretaria de Meio Ambiente e Educação.

Dia Mundial da Água e Dia do Rio Pardo

Rio Pardo Vivo representa a região no Comitê de Bacias Hidrográficas

A Associação Rio Pardo Vivo é integrante do comitê de Bacias Hidrográficas do Médio Paranapanema representando a Sociedade Civil no biênio de 2019/2020

Os Comitês de Bacia Hidrográfica são organismos colegiados, integrantes do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, compostos por representantes do setor público, da sociedade civil e dos usuários de água, cujo objetivo é garantir a gestão participativa, integrada e descentralizada da água.

25.000 peixes Curimbatás foram soltos no Rio Pardo

25.000 peixes Curimbatás foram soltos no Rio Pardo, um esforço de entidades e empresas em restaurar a fauna aquática do Rio Pardo. A meta para 2019 é soltar 300.000 peixe!