ONG Rio Pardo Vivo na Fenesc

RIO_PARDO_VIVO_FENESC_2016

No mês de novembro a ONG Rio Pardo Vivo realizará a quinta limpeza do ribeirão urbano São Domingos

panfleto_limpeza_ribeirao 5

Em comemoração pelo dia da árvore, Ong Rio Pardo Vivo recupera nascentes e margens de ribeirão

O evento aconteceu na semana da árvore e teve a participação de alunos das escolas estaduais Dr Genésio Boamorte, Sinharinha Camarinha e tomaz Ortega Garcia, com parcerias da Sabesp e Secretaria de Meio Ambiente.

Foram plantadas 800 mudas de nativas ás margens do ribeirão São Domingos e nascente do rio Pardo no bairro graminha.

_MG_3885 IMG_3828 IMG_3989

 

 

 

 

 
Veja mais fotos no Facebook: http://www.facebook.com/media/set/?set=a.963080673765214.1073741832.149962158410407

Ong Rio Pardo Vivo realizará reflorestamento de nascentes e margens de ribeirão

Preservar os recursos hídricos é uma das ações da Ong Rio Pardo Vivo, neste mês de setembro, mês da árvore, a Ong estará efetuando o plantio de 800 mudas de árvores nativas em nascentes do rio Pardo e ás margens do ribeirão São Domingos.

Plantio estes tem como parcerias a Secretaria de Meio Ambiente e terá a participação de alunos das escolas estaduais Sinharinha Camarinha e Dr Genésio Boamorte, que irão monitorar o desenvolvimento das mudas.

reflorestamento-058

Justiça suspende construção de 2 centrais hidrelétricas no Rio Pardo

A Justiça Federal concedeu uma decisão liminar que suspende a construção de duas Pequenas Centrais de Hidrelétricas (PCH) no Rio Pardo, em Águas de Santa Bárbara (SP) e Iaras (SP). O promotor público que fez o pedido de suspensão alega falta de amplo estudo sobre os impactos ambientais ao longo da bacia hidrográfica. Ambientalistas afirmam que a instalação das centrais podem comprometer o rio e prejudicar quem depende dele.

As empresas responsáveis pela obra foram procuradas pela TV TEM através de números de telefones fornecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Porém, ninguém foi encontrado para responder sobre o assunto.

Leia a matéria completa no site: http://g1.globo.com/sao-paulo/itapetininga-regiao/noticia/2015/08/justica-suspende-construcao-de-2-centrais-hidreletricas-no-rio-pardo.html

Justiça Federal barra instalação de novas hidrelétricas no Rio Pardo

Empresas conseguiram licenciamento com estudos insuficientes sobre impacto ambiental; empreendimentos poderiam causar assoreamento do rio e perda de biodiversidade na região

A Justiça Federal suspendeu licenças prévias e de instalação de duas usinas hidrelétricas no Rio Pardo, no oeste paulista, e proibiu que novas autorizações ambientais sejam concedidas para a construção de unidades de geração de energia no curso d’água. A decisão liminar atende a pedidos do Ministério Público Federal em Ourinhos (MPF/SP) e do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP), que ajuizaram ação civil pública, em junho, para impedir o avanço das obras. Os empreendimentos foram planejados sem estudos suficientes que analisassem os impactos ambientais e sobre a população no entorno.

São rés na ação as empresas PB Produção de Energia Elétrica Ltda. e SF Produção de Energia Elétrica Ltda., responsáveis, respectivamente, pelas usinas já licenciadas Pedra Branca e São Francisco. Também respondem ao processo a União, a Fazenda Pública do Estado de São Paulo, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

Leia a matéria completa no site: http://www.ecodebate.com.br/2015/07/31/sp-justica-federal-barra-instalacao-de-novas-hidreletricas-no-rio-pardo/